Revista Boca de Cena n3. 

Oco Teatro Laboratório traz a terceira edição da Revista Boca de Cena, imprimindo a cada número a marca de um projeto editorial diferenciado que, embora ainda embrionário, teve desde seu início uma ampla  epercussão em instituições educacionais, profissionais, públicas, privadas e em vários eventos nacionais e internacionais relacionados às artes cênicas, de festivais a colóquios internacionais. Esta revista, a cada edição, apresenta-se como um importante espaço que, além da reflexão, faz com vejamos a sua importância histórica, pois guarda uma memória que nos é difícil reter: realizações de homens e mulheres de teatro que com seus empenhos cotidianos driblam barreiras para expressar através das artes cênicas valores éticos e debates políticos em sociedade.

 

O presente volume tece uma abordagem de assuntos referentes ao “TEATRO NEGRO” - tema que ocupa a maior parte desta edição – com colaboradores como Marcos Uzel, Deise Nunes, Toni Edson, Fernanda Julia e pesquisadores de outras latitudes como Beatriz Rizk (Colômbia-Estados Unidos) com uma pesquisa sobre possessão/transe como método de trabalho em Cuba e do teatro afro-descendente naquela ilha caribenha e Ileana Dieguez Caballero (Cuba-México) com uma leitura biossemiótica da textualidade metafórico-corporal na Santeria cubana. Duas ENTREVISTAS que abordam espaços de interseção entre a arte, a política e a sociedade, com o ator e dramaturgo Aldri Anunciação e o diretor teatral Fernando Guerreiro.

 

O espaço MEMÓRIAS nos apresenta, desta vez, biografias de seres queridos que não acompanham mais nossos processos criativos, mas que ficarão na nossa memória como grandes artistas graça às suas contribuições para as artes cênicas baianas: Roberto de Abreu, Augusto Omolú, Auristela Sá e Nilson Mendes. Abrimos também um espaço para o coletivo Panaceia Delirante com um artigo/entrevista de Matheus Schimith sobre o TEATRO DE GRUPO e um espaço de INTERAÇÕES, em que temos artigos de Vinícius da Silva Lírio sobre a Outra Tempestade, de Jones Mota que faz uma análise do processo criativo numa turma de 6º ano de uma escola municipal da cidade de Jequié e Ileana DIeguez com um artigo com título “O Mal-estar da representação”. Como sempre publicamos na revista dois títulos de LITERATURA DRAMÁTICA, desta vez em processo de produção com o autor Aldri Anunciação e uma SAIDEIRA CULTURAL que contou com a colaboração de Dane de Jade, importante promotora cultural do Brasil e, sobretudo, do nordeste do país. Esperamos que os próximos números possam dar continuidade a esta importante contribuição coletiva para o teatro baiano, tanto dos colaboradores, fazedores de teatro como dos organizadores deste terceiro volume.

a audeproduções